O budista e a Mandala

Certo dia ouvi a Professora Lúcia Helena Galvão, da Nova Acrópole (recomendo vivamente) falar sobre a impermanência, a única certeza da vida. Na vida nada se mantém, tudo está em constante evolução. Desde o nascimento até à morte, o próprio processo evolutivo é pautado por sucessões de transformações. Incluindo, e talvez mesmo seja o melhor…

A água sabe quando fluir, procurar um novo caminho ou furar por entre a rocha

Muito se fala sobre desapegar e deixar fluir para uma vida melhor. Pouco ou nada se diz sobre: o quê deixar fluir?  No extremo, o mau uso e o uso descontextualizado desta frase transformadora, tornam-na um lugar comum e a nós uns autómatos que deixamos andar tudo “na boa”. Será que é suposto deixar fluir…